O divórcio machuca os pais, mas são as crianças que mais sofrem!!!

Conforme recentemente demonstrado por pesquisas realizadas[1], o divórcio tem efeito negativo sobre a capacidade dos pais de interagir com os filhos.

Após o divórcio, as crianças recebem menos apoio emocional, assistência financeira e ajuda dos pais. Há também uma diminuição no estímulo acadêmico, na auto-estima, na afetividade e no incentivo à maturidade social. Menos momentos de lazer e mais castigos físicos são outra conseqüência da separação dos pais para as crianças.

Os estudos revelam ainda que a maioria (cerca de 90%) das crianças permanece com a mãe depois do divórcio. Isto dificulta que o pai mantenha laços estreitos com os filhos. O estudo mostra que quase a metade das crianças disseram que não tinham visto o próprio pai durante o último ano.

Os filhos de casais divorciados são 26% mais propensos a abandonar o ensino médio, apenas 33% dos estudantes de famílias divorciadas conseguem o diploma, em comparação com 40% dos seus colegas de famílias estáveis.

As estatísticas Jeux avec croupiers en direct sont baccarat, blackjack et la casino roulette pendant que vous y trouverez plusieurs versions de blackjack, baccarat, craps, keno, la guerre et bien plus encore. mostram que filhos de famílias divorciadas são mais propensos a se envolverem em comportamentos delinquentes, brigas, roubos e abuso de álcool e drogas.

Além disso, “o divórcio perturba a estabilidade psicológica de muitas crianças”, os estudos revelam que o divórcio dos pais é em média o terceiro fator mais estressante em uma lista de 125 eventos. Somente a morte de um dos pais ou de um parente próximo é mais estressante do que o divórcio.

[1] O estudo Efeitos do Divórcio sobre as Crianças, de Patrick F. Fagan e Aaron Churchill, foi publicado em janeiro pelo Marriage and Religion Research Institute (Instituto de Pesquisas sobre Casamento e Religião).

 

Veja outros de nossos serviços:

Faça um comentário:

Comentários