Inventário

A Ação de Inventário tem por objetivo a divisão justa de um patrimônio deixado em uma herança. Muito embora a sucessão ocorra de forma automática, por força do Art. 1.784 do Código Civil, havendo imediata transmissão do patrimônio do de cujus para os herdeiros e testamentários responsável por transmitir a posse e a propriedade de todos os bens do “de cujus” no segundo posterior à sua morte, mesmo que os herdeiros, sejam eles legítimos ou testamentários, ignorem o ocorrido (óbito), a lei exige que os interessados providenciem, no prazo de 30 dias, a abertura do inventário judicial, sob pena de em não o fazendo incidir multa.

Os bens serão arrolados e partilhados de forma justa entre os herdeiros, tão logo o pagamento dos credores que porventura existam, bem como dos impostos de transferência sejam quitados.

Podem abrir o inventário:

[fancy_list style=”circle_arrow” variation=”green”]

  • Quem detêm a posse e administração dos bens;
  • O cônjuge;
  • Os herdeiros, legatários, testamenteiros ou seus cessionários bem como os seus credores;
  • O próprio Ministério Público, havendo interesse de incapazes;
  • A Fazenda Pública, quando tiver interesse e o Juiz, de ofício.

[/fancy_list]

Um ponto interessante que deve ser notado é de que os próprios credores dos herdeiros podem requerer a abertura do inventário. Em muitas situações os inventários não são abertos justamente para se evitar o pagamento de dívidas dos herdeiros, mas a lei foi bastante atenciosa neste ponto, possibilitando ao credor receber seus valores caso seu devedor possua algum tipo de herança disponível.

Clique Aqui para acessar a nossa página de contato ou ligue para marcar um horário: (11) 3104-2399 / (11) 3104-7418.